Confira 5 dicas para uma boa saúde financeira e mental

“Dinheiro não traz felicidade”. Bem, sabemos que a maior parte da felicidade é resultado das coisas mais simples, mas sejamos honestos: a falta de dinheiro muitas vezes causa muitos problemas, problemas ainda mais profundos na vida cotidiana. Sim, isso mesmo, existe uma relação direta entre saúde mental e vida financeira, e seu equilíbrio é fundamental para a busca da realização.

De acordo com pesquisas realizadas nas capitais pelo SPC Brasil e pela Federação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), as organizações financeiras não têm a função de atrair consumidores.

6 em cada 10 brasileiros (58%) admitem que nunca ou só às vezes dedicam seu tempo a atividades de controle da vida financeira, e 17% dos consumidores sempre ou frequentemente precisam usar cartão de crédito, cheque especial ou até mesmo pedir dinheiro emprestado para pagar suas mensalidades contas. Na coorte mais jovem, isso aumentou para 24%.

De acordo com a psicóloga e consultora financeira pessoal Patrícia de Rezende Simão, os problemas financeiros podem não só levar à doença e ao stress, mas também prejudicar as relações, especialmente nas áreas profissionais: governo, etc…’. Podemos dizer que o resultado de nossas ações financeiras é a soma de nossos aspectos cognitivos e emocionais. Em qualquer situação que envolva dinheiro, existem duas ou mais pessoas. Dessa forma, tratar o dinheiro é tratar os relacionamentos. ”

Vale ressaltar a importância de manter a saúde mental, quando desequilibrada, pode levar a gastos desnecessários e não planejados, criando dívidas, precisando recorrer a empréstimos, cheque especial, etc. A psicóloga também destacou aspectos da vida financeira como forma de expressar emoções positivas ou negativas:

“Usar o dinheiro não é apenas uma questão de matemática, o comportamento financeiro também é uma forma de expressar nossos valores, crenças e conflitos, que são resultado de nossos processos mentais. e atormentado pela ganância, que pode levar à quebra de limites financeiros.”

Para evitar esses problemas, listamos algumas ótimas dicas de como equilibrar esses dois fatores, que são importantes na vida de qualquer pessoa (fonte: Mongeral Aegon):

Cuide do seu orçamento

O primeiro passo para melhorar sua saúde financeira e, portanto, sua saúde mental, é ser realista sobre suas necessidades, controlando conscientemente seus gastos e receitas.

Esse controle serve para lhe dar uma compreensão do seu estilo de vida e identificar claramente suas maiores fontes de gastos. Portanto, os ajustes necessários podem ser feitos. Mudar os hábitos de consumo nem sempre é uma tarefa fácil, mas é preciso colocar as finanças em dia.

Pagar sua dívida

Não há nada melhor do que a sensação de ter um recomeço sem dívidas, certo? Com seu orçamento sob controle, é hora de analisar suas dívidas e trabalhar para pagá-las. Eliminar esses itens de sua lista e sua mente lhe proporcionará um grande alívio e uma maior sensação de bem-estar.

Depois de concluir esta etapa, você pode começar a colocar uma porcentagem de sua renda na construção de uma reserva para contingências e até mesmo começar a investir.

Foco no temporário

Quando a mente tenta encontrar o equilíbrio, toda falta de dinheiro é reversível. Com isso em mente, confie em mim: é muito mais fácil encontrar soluções eficazes para problemas não resolvidos e acumular mais dinheiro.

É importante eliminar padrões de gastos compulsivos para compensar sua ansiedade ou outros sentimentos destrutivos. Sente-se com calma e coloque seu orçamento no papel, traçando as possibilidades de cuidar de suas finanças e saúde mental. É um passo importante até para quem não está inundado de dívidas, entendeu?

Educação para investimentos

Uma das melhores maneiras de evitar repetir os mesmos erros do passado é armar-se com conhecimento. Cursos de finanças, majors e outras qualificações não apenas ajudarão você a corrigir o que precisa ser corrigido, mas também o ajudarão a agir de forma mais consciente em situações futuras.

Ter seguro

A instabilidade é outro ponto que pode levar a um desequilíbrio na vida de uma pessoa. Por exemplo, perder um parceiro ou ficar impossibilitado de trabalhar devido a um acidente pode prejudicar o orçamento doméstico (substancialmente). Mas o que fazer nesse sentido?

Confie no seguro de vida para garantir que, se necessário, você possa obter apoio financeiro. O seguro pode ser a solução que você precisa para aliviar o estresse mental e as preocupações.

Como você pode ver, a saúde mental e financeira são pilares fundamentais da qualidade de vida de qualquer pessoa. Se o outro não estiver equilibrado, aquele não alcançará sua plenitude. Por isso é tão importante elaborar um plano financeiro e continuar organizando essas áreas para garantir uma saúde completa!

Você certamente pode começar a classificar esses fatores seguindo as dicas que trazemos hoje. Boa sorte!

Fontes: www.abrigo.org.br