Como proteger aplicativos móveis e bancários? Veja 10 dicas

Como acontece o crime?

Explicaremos como os criminosos obtêm acesso a contas bancárias antes de mostrar dicas sobre como proteger seu telefone. Os ladrões visam dispositivos que já foram desbloqueados, portanto, o roubo geralmente ocorre quando as pessoas usam seus telefones na rua ou no trânsito.
Armados com o dispositivo, eles tentaram vasculhar e-mails e mensagens em busca de informações que pudessem fornecer pistas de senhas para acessar aplicativos bancários. Quando são bem-sucedidos, entram na conta e fazem transferências, empréstimos e até financiamentos.
Outro método que os golpistas tentam fazer é solicitar a recuperação de senha. Como o telefone está desbloqueado, as notificações de confirmação chegarão no aplicativo de e-mail ou SMS, que já estão disponíveis.
No entanto, vale ressaltar que ainda não se sabe como o ladrão acessou a conta bancária da vítima, pois pode ser um processo diferente, dependendo de cada golpe.

  • 10 dicas para proteger seu telefone e aplicativos bancários
  • Não escreva sua senha no próprio dispositivo
  • Nunca repita sua senha bancária
  • Verifique seu limite diário de transações
  • Não use lembretes de senha em seu telefone
  • Tem uma senha de tela de bloqueio
  • Salve o IMEI do seu telefone
  • Saiba como entrar em contato com seu banco e operadora
  • Evite usar telefones celulares em locais públicos
  • Excluir informações confidenciais do seu telefone
  • Mantenha seus dispositivos e aplicativos atualizados

1. Não escreva sua senha no próprio dispositivo

Quando um ladrão tem a oportunidade de roubar um celular desbloqueado, a primeira coisa que ele vai tentar é pesquisar no aparelho a senha para acessar a conta bancária.
Portanto, nunca escreva suas senhas no bloco de notas, e-mail, aplicativos de mensagens ou em qualquer outro lugar do seu dispositivo.

2. Nunca repita a senha do seu banco

Nunca use a mesma senha bancária em várias instituições, muito menos reutilize a combinação em outros sites ou redes sociais. Seu PIN bancário se aplica apenas ao seu banco e não deve ser uma combinação óbvia, como sua data de nascimento.
Lembre-se de que essas informações são fáceis de encontrar, seja por meio de seus documentos ou porque podem ser encontradas em redes sociais ou sites ilegais na internet após uma violação de dados.

3. Verifique seu limite diário de transações

Os bancos fornecem limites para transações bancárias, então veja se o que você tem hoje é compatível com a sua realidade, incluindo cartões de crédito e transferências.
Caso contrário, entre em contato com a agência para ver se eles podem ser reaproveitados para fornecer mais segurança.
Por exemplo, na Neon, cada cliente tem um limite diário específico para cada transação, e o valor varia de acordo com as informações enviadas ao se cadastrar.
Você pode verificar seus limites clicando em Meu Neon, depois em Configurações e depois em Limites.
Saiba mais sobre transferências e saques Neon.

4. Não use a função de lembrete de senha em seu telefone

Alguns dispositivos oferecem a opção de salvar senhas e preenchê-las automaticamente ao tentar fazer login no aplicativo. Para evitar qualquer inconveniente, desative esse recurso e opte por sempre inserir sua senha toda vez que fizer uma nova visita.

5. Tenha uma senha de tela de bloqueio

Como explicamos no início do artigo, os ladrões podem acessar aplicativos bancários com mais facilidade se a tela estiver desbloqueada. Pensando nisso, outra dica de como proteger seu celular é ter uma camada extra de proteção e sempre usar um PIN ou impressão digital no celular.

6. Salve o IMEI do telefone

IMEI é um acrônimo para International Mobile Equipment Identity, que significa “Identidade Internacional de Equipamento Móvel” em português, e é um número de 15 dígitos que é usado como o “ID” de cada telefone celular. Se o seu dispositivo for roubado, você deve ligar para sua operadora e solicitar o bloqueio do dispositivo nesse número.
Dessa forma, o telefone não poderá se conectar à rede móvel, portanto, os ladrões não poderão usar ou revender o dispositivo.
Para encontrar seu IMEI, basta discar *#06#
O número aparecerá na tela, basta anotá-lo no papel e mantê-lo seguro.

7. Saiba como entrar em contato com seu banco e operadora

Infelizmente, quando o roubo aconteceu, foi desesperador. Portanto, vale a pena não entrar em pânico quando precisar fazer todos os bloqueios. Salve seus números bancários e de celular em algum lugar para relatar rapidamente o que aconteceu.

8. Evite usar telefones celulares em locais públicos

Usar um telefone celular em público dobra o risco porque:
O dispositivo é mais vulnerável a roubo e furto
Se você estiver usando, a tela está desbloqueada.
Em outras palavras, o risco não é apenas que o aparelho seja levado, mas que o aparelho seja desbloqueado, permitindo que os ladrões façam o que quiserem com o telefone, inclusive acessar contas bancárias.
Portanto, para proteger seu telefone, tente evitar usá-lo no transporte público, no carro ou ao andar na rua. Além disso, nunca entre em sua conta bancária nessas circunstâncias.

9. Exclua informações confidenciais do seu telefone

Os telefones celulares tornaram-se não apenas nossos pontos de venda, mas também nossas ferramentas para resolver nossas vidas. Portanto, é normal armazenar muitas informações confidenciais em um dispositivo sem que percebamos.
Então, como proteger os dados do celular? Limpe seus e-mails, blocos de notas, mensagens e fotos para remover quaisquer informações confidenciais, como números de segurança social, datas de nascimento, nomes de mãe e pai, fotos de cartão de crédito e muito mais.
Por exemplo, no e-mail, você pode pesquisar a palavra “CPF” e excluir todos os e-mails que aparecem na lista. Exclua também faturas de compra e e-mails recebidos do seu banco.

10. Mantenha seus dispositivos e aplicativos atualizados

Entre os recursos atualizados, a proteção aprimorada de dispositivos e aplicativos é um deles. Por isso, sempre faça as atualizações necessárias para seus dispositivos e apps, principalmente apps bancários.
E se o seu telefone for roubado?
Ninguém quer que isso aconteça, porém, é importante conhecer as técnicas para se proteger (como acabamos de mostrar), e se você for vítima, saiba como agir para evitar problemas maiores.
Veja o que precisa ser feito.
entre em contato com o banco
Ao ativar sua instituição bancária, você deve solicitar que a conta seja congelada imediatamente e confirmar que nada de estranho foi feito.
Limpe seu telefone remotamente
Tanto o Android quanto o iOS permitem que você exclua remotamente seu dispositivo. No entanto, isso não funcionará se o telefone estiver no modo avião, somente quando o dispositivo estiver online novamente.
De qualquer forma, o telefone precisa estar conectado à internet para transações bancárias, para que a remoção seja ativada, o que resolverá muitas coisas.
Notifique o operador de roubo
É importante retirar o aparelho antes de desconectar a linha, pois se a operadora desconectar o número primeiro, o sinal de internet não conseguirá chegar ao telefone.
Se você não sabe como bloquear um celular roubado, é simples: neste contato, solicite também o bloqueio do aparelho usando o IMEI. A linha telefônica será bloqueada e o telefone será marcado como roubado para que não possa ser reativado com outro SIM.
Altere todas as senhas e saia de todos os dispositivos
O próximo passo é alterar todas as senhas, especialmente as senhas bancárias, de e-mail e de mídia social, e sair de todos os dispositivos conectados. Isso ajudará a criar outra camada de proteção e tornará a vida mais difícil para o ladrão.
Faça um relatório de acidente
Finalmente, registre um boletim de ocorrência on-line através do departamento de polícia eletrônico do seu estado. Se seu dinheiro for roubado, o BO é importante, você pode ligar para o banco e tentar recuperar o item perdido.
Além disso, o BO ajudará em outras questões, como solicitar uma cópia do documento, caso ele seja transportado com o dispositivo.
Acesso ao Cadastro do Banco Central
No registrador, você poderá verificar se algum empréstimo ou financiamento foi solicitado em seu nome e se uma conta foi aberta.
Além disso, adquira o hábito de usar essa ferramenta regularmente, pois ela mantém um histórico atualizado do seu relacionamento com a instituição financeira.
 
FONTE: https://neon.com.br/